Oscar 2018 – relembrando 12 filmes que abordam o tema inclusão da pessoa com deficiência

Aproveitando a semana do Oscar, reservamos para os cinéfilos do Instituto Humanus uma seleção de 12 filmes da história do cinema que trabalharam com o tema inclusão da pessoa com deficiência. Recomendamos que todos os nossos associados e parceiros possam assisti-los:

1 – Intocáveis – 2012

Classificação indicativa: recomendado para maiores de 12 anos

O filme conta a história de Phillippe, um homem rico que, após sofrer um grave acidente, fica tetraplégico. Precisando contratar um assistente, sua história cruza com a de Driss, jovem de baixa renda e sem nenhuma experiência na função de cuidador. O percurso trilhado pelos dois é de aprendizagem mútua. Driss contribui para a retomada da identidade e da auto estima de Phillippe a partir de um trabalho que mostra o cuidado com as deficiências, mas também uma atenção ímpar com as potencialidade envolvidas.

2 – Filho Eterno (2016)

Classificação Indicativa: recomendado para maiores de 10 anos

Roberto, escritor ainda não publicado, está seguro de que o nascimento do filho é o marco para uma nova vida. No entanto, ainda no hospital, ele descobre que terá de se acostumar com uma nova ideia – ser pai de Fabrício, uma criança com Síndrome de Down. A notícia provoca em Roberto uma enxurrada de emoções contraditórias e conflitos que acabam afetando sua relação com o trabalho e seu casamento com Claudia. Numa jornada de 12 anos, entre obstáculos, conquistas e descobertas, se revela o significado do termo paternidade. Este filme foi baseado na obra de Cristovão Tezza – vale a pena conferir.

3 – Meu nome é Rádio (2003)

Classificação indicativa: recomendado para maiores de 12 anos

Todos os dias, ao redor da quadra de uma escola secundária na Carolina do Sul circula James Robert Kennedy. Acompanhado de um carrinho de supermercado e um rádio, o jovem tinha a prática de observar os intensos treinos de futebol americano liderados por Harold jones, um treinador competitivo, que não tinha olhos para além do trabalho, tampouco para sua mulher e filha.

Um dia, uma brincadeira de mal gosto do time com James o deixa ainda mais assustado e o fecha ainda mais em seu silêncio – o jovem não fala. Até que um dia, o treinador resolve convidá-lo para assistir a um treino e pouco a pouco o insere na equipe como um assistente. O filme mostra a inclusão de “Rádio” – nome pelo qual James passa atender – numa dinâmica antes marcada pela competição e altas habilidades, trazendo sensivelmente a possibilidade de aprendizagem em outros tempos e maneiras.

4 – Colegas (2012)

Classificação indicativa: recomendado para maiores de 12 anos.

Aninha, Stalone e Márcio protagonizam uma história de amizade e sonho. Os três fogem do instituto em que viviam para perseguirem seus respectivos desejos de casas, ver o mar e voar. Ao longo da trabma, os três trilham um percurso de aventura, contribuindo para que a Síndrome de Down seja retratada dentro de um contexto de autonomia, superação e aprendizagem.

 

5 – Hasta La Vista – Venha como você É (2011)

Classificação indicativa: recomendado para maiores de 12 anos.

É um filme drama/comédia onde três amigos, que têm deficiência física, decidem embarcar sozinhos em uma emocionante viagem, apesar dos protestos de seus familiares. Eles chegam a um bordel na Espanha que atende pessoas deficientes.

6 – Cordas (2014)

Classificação indicativa: livre

O curta animado “Cordas” narra a amizade entre Maria, uma garotinha muito especial e Nicolas, seu novo colega de classe, que sofre de paralisia cerebral. A pequena, vendo algumas das impossibilidades do amigo, não desiste e faz de tudo para que ele se divirta e consiga brincar. Reconfigurando e recriando jogos e atividades, Maria celebra a vida do colega, aprende ao passo que ensina e emociona a todos – inclusive os expectadores, com as possibilidades do sonhe e de uma amizade verdadeira. Ao final, uma surpresa especial, que lembra a todos da importância do educar e da relação que se estabelece no ensino a aprendizagem.

7 – Soul Surfer – Coragem de Viver (2011)

Bethany Hamilton (Anna Sophia Robb) nasceu praticamente na praia e é uma jovem e premiada surfista. Ao ser atacada pr um tubarão, ela perde o braço esquerdo, mas conta com o apoio dos pais (Dennis Quaid e Helen Hunt), da melhor amiga Sarah (Carrie Underwood) e dos fãs para voltar a cair na água.

8 – Sempre amigos (1998)

Classificação indicada: livre

A premiada atriz Sharon Stone (Esfera, Cassino, Instinto Selvagem e Gillian Anderson (Arquivo X)) estrelam esta edificante produção cinematográfica que foi aclamada pela imensa maioria da crítica! Kevin (Kieran Culkin) é uma adolescente de 13 anos de idade com uma mãe amorosa e que sempre lhe apóia (Stone). Quando Kevin conhece Max, seu vizinho da porta ao lado, eles percebem que, ainda que sofram bullying, eles podem usar seu amor-próprio para reforçar seus pontos fortes e, unidos, podem superar suas limitações individuais e triunfar sobre qualquer adversidade. os dois garotos partem em uma série de aventuras e acabam encontrando um grande tesouro: a amizade! Com Gena Rowlands (Corações apaixonados) e um elenco de estrelas, o poder da amizade é verdadeiramente excepcional e irá levantar o seu ânimo e tocar o seu coração.

9 – Uma lição de amor (2001)

Classificação indicativa: livre

O filme conta a história de Sam Dawson, um homem com deficiência mental que tem uma filha Lucy que, quando completa 7 anos, começa a ultrapassar intelectualmente seu pai. Uma assistente social ao ver a situação quer tirar a guarda internando Lucy em um orfanato. A situação se transforma em uma briga jurídica em que se discute o papel do pai e se pessoas com limitações intelectuais como Sam poder ser responsáveis por crianças.

10 – Como eu era antes de você (2016)

Classificação indicativa: recomendado para maiores de 12 anos

Rico e bem sucedido, Will (Sam Claflin) leva uma vida repleta de conquistas, viagens e esportes radicais até ser atingido por uma moto, ao atravessar a rua em um dia chuvoso. O acidente o torna tetraplégico, obrigando-o permanecer em uma cadeira de rodas. A situação o torna depressivo e extremamente cínico, para a preocupação de seus pais (Janete McTeer e Charles Dance). É neste contexto que Louisa Clark (Emília Clarke) é contratada para cuidar de Will. De origem modesta, com dificuldades financeiras e sem grandes aspirações na vida, ela faz o possível para melhorar o estado de espírito de Will e, aos poucos, acaba se envolvendo com ele. Assistam, vale a pena conferir.

11 – A pessoa é para o que nasce (2002)

Documentário relata a história de três irmãs cegas de Campina Grande, Maria das Neves, Regina Barbosa e Francisca da Conceição. A narrativa mostra a leitura de mundo das mulheres e a dedicação do trio à música.

12 – Janela da Alma (2001)

Classificação indicativa: livre

No documentário, 19 pessoas dão seus relatos de como lidam como a deficiência visual. As histórias acabam abordando o olhar de uma forma mais sensível e menos ligada diretamente com o espectro exterior, sugerindo que a sociedade em geral, mesmo com a possibilidade de ver, deixou de enxergar o que é visível aos olhos.

 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *